Blog Dicas

curso-de-marceneiro

5 problemas mais comuns das marcenarias

Quem tem o próprio negócio, sabe: imprevistos e situações desconfortáveis fazem parte do cotidiano e é preciso saber lidar com isso. Na realidade, a maioria dessas ocasiões se repete em empresas do mesmo segmento e pode ser evitada com um pouco de planejamento.

Pensando nisso, separamos os 5 problemas mais comuns das marcenarias. Você sabe dizer se a sua apresenta algum deles?

  1. Layout mal pensado

Em muitas marcenarias, as máquinas e ferramentas estão instaladas aleatoriamente. Você pode até pensar que não há problemas nisso, mas o layout influencia diretamente na produtividade. Dispor os equipamentos de acordo com a ordem de fabricação agiliza o trabalho, evita acidentes e danos aos móveis produzidos. Ordenar corretamente as máquinas ainda aproveita melhor o espaço e favorece a circulação de pessoas e de materiais.

Quando sua marcenaria não está organizada de maneira lógica, você compromete a eficiência da produção, desperdiça matéria-prima e periga danificar os produtos, pois os móveis são movidos o tempo todo para as estações de trabalho.

  1. Falta de planejamento para elaboração e execução de projetos

É crescente o número de clientes que procuram o marceneiro para elaborar projetos, pois sem o intermédio de um arquiteto os custos para mobiliar uma casa ficam menores. Como marceneiro você não é obrigado a projetar ambientes, mas isso pode ser um diferencial na prospecção de clientes.

No entanto, ao oferecer o serviço, é importante que você realmente tenha conhecimento de projeção. Elaborar projetos requer planejamento, pois as falhas nesta etapa são as principais causas de retrabalho em marcenarias. E, como você já deve saber, isso gera prejuízo financeiro e clientes insatisfeitos.

  1. Descumprimento de prazos

Talvez este seja o maior problema das marcenarias e, normalmente, as empresas que não cumprem os prazos são aquelas que apresentam as duas características acima. Essa situação é tão séria que muitas pessoas, além de fazerem reclamações ao PROCON, registram boletins de ocorrência contra marcenarias na Polícia Civil. Nos inquéritos, os marceneiros são indiciados por estelionato.

É claro que imprevistos acontecem e pode ser que você atrase alguma entrega. Mas se isso ocorrer, seja proativo: entre em contato com seu cliente e explique a situação em vez de esperar que ele o procure. Também não prometa prazos muito apertados. É melhor trabalhar com uma margem de segurança e surpreender positivamente as pessoas com móveis prontos antes do tempo.

  1. Não investir em tecnologia

O mercado de marcenaria está cada vez mais atualizado, com novas tecnologias que beneficiam a produção e reduzem. Programas de plano de corte, de desenho de projetos em dimensões adequadas e em 3D, de mensuração de tempo e material necessário entre outros aperfeiçoam e facilitam o trabalho.

Especialmente os softwares referentes à projeção de ambientes ajudam a prospectar clientes, pois permitem a visualização dos móveis prontos. Isso dá competitividade ao seu negócio.

A tecnologia de ponta também está presente em máquinas e equipamentos, que ganharam maior precisão e versões digitais. Não investir em aparatos tecnológicos deixa a marcenaria defasada e com o risco de perder parte da clientela.

  1. Não acompanhar tendências

Para produzir móveis é preciso estar por dentro da moda – e isso não se refere ao vestuário, mas ao design e à arquitetura. Afinal, o cliente quer que sua casa seja funcional e bonita. Por isso é importante acompanhar as tendências e os hábitos de consumo.

Marcenarias que não sabem se atualmente utilizam-se nichos ou prateleiras, por exemplo, ficam atrás da concorrência.

Confira 4 sites de decoração e design de interiores que separamos para você ficar por dentro das tendências.

Agora que você já sabe quais são os problemas mais comuns das marcenarias, faça uma análise do seu negócio. Apenas assim você poderá identificar suas dificuldades e buscar meios de corrigi-las.

Aguarde...

Newsletter da GMAD

Fique atualizado com as newsletters da GMAD.