Blog Dicas

Elas fazem o Outubro Rosa na GMAD

No mês de outubro é realizada a campanha de conscientização das mulheres e da sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Simbolizada pelo laço rosa, a campanha é conhecida como Outubro Rosa.

Para homenagear todas as mulheres que lutam não só contra o câncer, mas pelo seu reconhecimento e respeito, trouxemos um pouco da história de algumas profissionais que fazem cada dia na GMAD ser uma vitória, portanto alegre como a cor rosa.

A primeira mulher da GMAD

Em 1990, na cidade de Ponta Grossa, nascia a Madcompen, loja que deu origem à GMAD, o maior Grupo de Revendas de produtos para marcenarias do Brasil. Mas o que isto tem a ver com Outubro Rosa?

Jeanine Maia Goes foi a mulher que, com muita fibra e inteligência, cuidou das finanças da empresa ao lado seu esposo José Álvaro Goes Filho, fundador do Grupo. A história de Jeanine, assim como de outras profissionais que vamos relatar, servem como fonte de inspiração para todas as profissionais, mães, avós.

Com simpatia e simplicidade, Jeanine nos contou um pouco de sua trajetória que muito se confunde com a história da GMAD. Formada em administração de empresas, iniciou sua vida profissional como estagiária em grande empresa do setor de papel e celulose, onde se destacou na área financeira e tinha uma carreira promissora, mas deixou tudo para enfrentar o desafio de ser uma empreendedora.

“No começou tudo foi muito difícil, eu cuidava da parte financeira, enquanto o Álvaro cuidava de todo o resto, até entrega ele fazia. Tínhamos dificuldade de acesso ao crédito por estarmos no início do negócio, mas nunca pensamos em desistir, com esforço, dedicação e muita mão na massa superamos tudo isto”, relatou a empresária.

Jeanine

Mãe de duas filhas, hoje com 24 e 28 anos, Jeanine diz que sempre procurou conciliar bem a vida profissional e pessoal, faz questão de dizer que amamentou as filhas, participou de todos os momentos importantes na escola, e preparou suas filhas para o trabalho.

O resultado de tanta dedicação é que hoje, já formadas, as filhas assumiram há um ano a gerência financeira da GMAD Madcompen, para que a mãe pudesse cuidar de projetos pessoais. “O processo de sucessão foi muito tranquilo, pois preparei minhas filhas para isto, quando uma delas precisa se ausentar, eu retomo o posto, mas elas conduzem muito bem. Já está clara a liderança da mulher na sociedade, com resiliência superamos e enfrentamos os riscos “, concluiu.

Fornecedora GMAD

De babá a executiva de multinacional, este é o resumo da trajetória profissional de Eunice Monteiro, gerente de marketing e especificação técnica da Formica.

Eunice começou a trabalhar como babá ainda criança, passou pela área de vendas de algumas empresas e aos 18 anos ingressou na Formica como auxiliar de vendas e construiu uma carreira brilhante.

Eunice Formica (1)

Mas todo este crescimento foi fruto de muito trabalho e capacitação, a executiva é formada em design de interiores, arquitetura e urbanismo, pós-graduada em hotelaria, além de ter feito o curso de magistério, o que talvez explique seu jeito de educadora.

O cargo estratégico obriga Eunice a realizar frequentes viagens nacionais e internacionais, o que não a impede de ter uma vida familiar harmoniosa. Mãe de duas jovens, Bianca com 19 anos e Juliana com 18, afirmou que a transparência nas relações no trabalho e entre família, a fé em Deus e o amor ao próximo são determinantes para conciliar a vida pessoal e profissional. 

Elas administram, projetam, fabricam, vendem, são Marceneiras.

Dona Maria

“Faço de tudo, pego mesmo no pesado, faço até musculação para manter a forma na marcenaria que é minha paixão”, orgulha-se Maria Severina Queiroz da Silva, ou simplesmente Dona Maria, proprietária da MN Marcenaria, cliente da loja GMAD Madcentro.

Dona Maria afirmou que começou na marcenaria por acaso, ajudando seu esposo a fazer uma gaveta e nunca mais parou, isto já tem 25 anos.

A marceneira contou que conciliar trabalho e família exigiu muito esforço, pois muitas vezes era obrigada a levar as crianças para a marcenaria, onde trabalhava até a madrugada. Para ela, todo esforço valeu a pena porque é muito feliz fazendo o que gosta e pôde dar uma boa educação para seus três filhos, que têm mais de 30 anos de idade e um deles trabalha na marcenaria.

Na sua opinião, ainda existe muito preconceito em relação às mulheres no mercado de trabalho. Disse que houve cliente que se recusou a ser atendido por ela, exigiu falar com o marceneiro, quando preenche algum formulário e coloca profissão marceneira causa estranheza nas atendentes.

“Tem gente que acha que lugar de mulher é na cozinha, mas não é”, adverte Maria, que completa dizendo: “A mulher pode escolher o trabalho que quiser, desde que seja honesto. Da mesma forma que eu posso ser marceneira, um homem pode ser um maquiador, o importante é fazer o que gosta, cuidar bem dos clientes e dos funcionários”, finalizou entre risos.

Socorro

A Marcenaria Efata, cliente da GMAD Casa da Madeira, também é liderada por uma mulher, Raimunda Francisca Antunes, desde criança conhecida como Socorro. A empresária, que também tem uma loja de móveis no centro de Brasília, nos contou que lidera uma equipe predominantemente masculina formada por marceneiros, vendedores, projetistas e montadores os quais a respeitam.

“Sempre trabalhei no ramo de marcenaria, iniciei aos 20 anos de idade na marcenaria do meu irmão, trabalhei como mensageira, passei à cozinheira e logo fui para a administração da empresa onde hoje sou sócia”, enfatizou Socorro, para quem o sucesso depende de muita determinação.

Rosangela Lima

Rosangela Lima é outra marceneira que tem muito orgulho da profissão, que desempenha há 16 anos. Cliente da loja GMAD Bridi, administra a empresa e, quando necessário, também põe a mão na massa e ajuda na fabricação. Ela diz que se interessou pela marcenaria pelo fato de gostar de desafios. Realizou cursos de projetos no SENAC, mas foi com seu esposo que aprendeu o ofício.

Rosangela Rosangela 1

A empresária falou que o fato de ser mulher, mãe e também dona de casa, torna mais fácil a elaboração de projetos, pois, segundo ela, tem maior percepção das necessidades de seus clientes.

Mãe de duas adolescentes, Rosângela diz que não é uma tarefa fácil conciliar trabalho e família. No entanto, a forma que encontrou para ficar mais perto das filhas e dar a elas a atenção que necessitam, foi manter a marcenaria no mesmo local onde reside.

Eliane Néia

Já a proprietária da Marcenaria Mollinari, cliente da GMAD Complond ressaltou que não encontra dificuldade para conciliar vida pessoal e profissional. Eliane Gonçalves Néia acrescentou que a jornada de trabalho é grande e requer muita dedicação, mas com o apoio e compreensão de seus familiares há cinco anos e meio conduz a marcenaria com sucesso.

Para ela, empreender no negócio de marcenaria foi um desafio, pois quando começou já era mãe de um garoto, hoje com 13 anos. Contudo, adotou uma postura de seriedade e profissionalismo no trato com todas as pessoas, este posicionamento, ela garante que tem dado condições de superar os obstáculos e as dificuldades que surgem no caminho.

Molinari Moveis (2)

Mulheres da equipe GMAD

Para representar as mulheres guerreiras que fazem cada dia da GMAD ser uma vitória, convidamos a vendedora Fabiana Martins de Moura e a compradora Luciane Camargo, para inspirar outras profissionais a realizar suas conquistas.

Fabiana

“Trabalho com vendas há 15 anos, comecei novinha, tinha apenas 13 anos e vendia livros de porta em porta. Desde então, já tive muitas experiências, recebi muitos “sim” e muitos “não”, acertei, errei, caí, levantei, mas o que eu aprendi com tudo isso foi que Deus é bom o tempo todo. Todo ser humano é capaz de coisas incríveis, não desistam dos seus sonhos, as coisas acontecem para aqueles que persistem, sucesso é só consequência de muito trabalho, mantenha o foco e a persistência, não escute as pessoas que querem te jogar para baixo, pois terão muitas, acredite que você é capaz e siga em frente!” Estas sábias palavras são da Fabiana, vendedora da GMAD Fortaleza.

FABIANA VENDEDORA

Na empresa há quase dois anos, a vendedora já fez proezas; logo que começou a trabalhar percebeu que precisava buscar desafios, foi então que decidiu viajar por 600 quilômetros para conquistar um novo cliente e esta experiência, afirmou, trouxe resultados para empresa e foi única em sua vida. O novo cliente, Dalton Peixoto, passou a ser um amigo e seu melhor cliente na região.

Segundo Fabiana, sua relação com todos os clientes é de amizade, faz visita às marcenarias, conversa sobre assuntos diferentes, mas ressalta que o limite e o bom senso são muito importantes. “Trato todos pelo nome, nada de nomes fofinhos e meigos, isso em algum momento pode ser confundido com liberdade”, alertou.

Ela explica que conquista a confiança dos clientes sendo verdadeira, deixando as coisas sempre bem claras e principalmente escutando o que eles têm a dizer. A vendedora classificou o bom atendimento, eficiência, parceria, disponibilidade, sinceridade, o ambiente da loja e a boa negociação como fatores determinantes para o sucesso da venda.

Fez questão de ressaltar que jamais conseguiria ter a dedicação e o desempenho no trabalho se não fosse o apoio de seu esposo Francisco Sorlan. Finalizou agradecendo também o apoio dos gestores Carmem e Eurico.

Luciane

Prática e objetiva, a compradora Luciane Camargo, que tem 12 anos de empresa disse que sua vida se resume 80% profissional e 20% pessoal. “Meu filho já tem 28 anos e me deu uma netinha, hoje com quatro aninhos, eles são meus amores”, expõe com alegria.

No entanto, Luciane dedica a maior parte de seu tempo ao trabalho, até porque seu crescimento na empresa foi muito rápido, foi admitida em 2006 como auxiliar de faturamento, e no mesmo ano foi convidada a assumir o departamento de compras da loja GMAD Madcompen.

Luciane Camargo

Devido ao imenso crescimento do Grupo, foi acumulando funções, participando de reuniões estratégicas de compras e negociações. Atualmente se divide entre a responsabilidade das compras da matriz em Ponta Grossa e o suporte às demais lojas GMAD de todo Brasil.

Para ela, não há diferença entre o público masculino ou feminino, o fator primordial para o respeito e reconhecimento profissional é a responsabilidade, dedicação e a solidez da empresa, encerrou.

Leia também

Aguarde...

Newsletter da GMAD

Fique atualizado com as newsletters da GMAD.