Grupo GMAD
Você está em:
Loja Casa do MDF
(18) 3355-6677

Blog Dicas

Co-living é oportunidade para marcenaria

Uma das fortalezas da marcenaria é a flexibilidade e sua capacidade de adaptar-se a qualquer tendência. Uma que surgiu nos últimos anos e que deve estar no radar do profissional é o co-living, que nos faz repensar o formato e função das casas na era digital e que traz fortemente o conceito de viver em comunidade. Atualmente, um grande nicho de mercado do co-living são os recém formados – para quem o apelo costuma ser financeiro. Sem condições de arcar com os caros aluguéis das grandes cidades, a solução é compartilhar. E ai entram as empresas especializadas em compartilhamento de moradias, que normalmente oferecem cômodos já mobiliados e decorados entre outros serviços. Nesse caso, seu cliente mudou, não? O jeito é entender tudo de co-living e oferecer seus serviços a essas empresas especializadas.

Co-living Net de Rodrigo Aguiar na Casa Cor de Minas Gerais


O conceito de co-living vem se firmando como uma solução atrativa e eficaz. Apesar das semelhanças com uma república, o co-living engloba muitos outros fatores – como um senso de comunidade, sustentabilidade e economia colaborativa.

Nômades digitais e cidadãos globais também se adaptam bem ao compartilhamento. Muitos desses empreendimentos de co-living têm unidades espalhadas pelas principais capitais do mundo. Em vez de pular de Airbnb em Airbnb, é possível escolher um como base e circular pelos outros conforme a necessidade.

Outro nicho de mercado está sendo formado por pessoas um pouco mais velhas, com mais dinheiro e que querem mais espaço e privacidade. A maioria está na casa dos 30 anos, são solteiros ou casados, sem filhos e acabaram de se mudar para uma nova cidade. Para eles, o co-living não é tanto uma solução financeira, mas sim uma busca por um senso de comunidade. A empresa Node é pioneira neste tipo de empreendimento e possui diversos pelo mundo. Aqui, cada apartamento inclui cozinha e sala e são decorados com curadoria de designers. O compartilhamento fica a cargo de eventos promovidos pela empresa, como degustações de vinho, jantares de amigos, decoração de árvores de natal, shows de teatro e passeios em festivais de cinema.

Estudos corroboram o crescimento desses empreendimentos. A consultoria imobiliária Cushman & Wakefield estima que o mercado de coliving vale US$ 6,67 bilhões – valor que pode dobrar até 2025.

A tendência já aparece em metrópoles brasileiras como Rio de Janeiro e São Paulo. As startups brasileiras Housi, Yuca e Uliving oferecem a habitação como serviço dotado de tecnologia.

Esses empreendimentos defendem a ideia de trocar o ter pelo usar, inclusive quando falamos da casa própria e de viver voluntariamente com mais de dois estranhos. Em troca há uma redução de custos, mas também uma gestão terceirizada do apartamento, a chance de viver perto do trabalho e, para alguns, menos solidão.

Não fique fora dessa profissionais da marcenaria. Aproximem-se dessas empresas especializadas e ofereçam toda a flexibilidade e qualidade que uma marcenaria tem.

fontes:
https://www.archdaily.com.br/br/914917/o-que-significa-co-living
https://www.leilabittencourt.arq.br/portifolio/loft-coral-co-living/https://revistapegn.globo.com/Startups/noticia/2020/03/nova-pensao-conheca-startups-de-coliving-com-apartamentos-compartilhados.html
https://www.casoca.com.br/blog/casacor-minas-coliving-net/

Leia também

Quem tem um parceiro tem sorte – Regulamento da promoção

CERTIFICADO DE AUTORIZAÇÃO SEAE No 05.000856/2019 1 – EMPRESAS PROMOTORAS: Empresa Mandatária:
Razão Social: ASSOCIACAO DAS EMPRESAS DO GRUPO GMAD
Endereço: GAL CARLOS CAVALCANTI Número: 585 Complemento: SALA 03 Bairro: UVARANAS Município: PONTA GROSSA UF: PR CEP:84025-000
CNPJ/MF no: 14.066.270/0001-00 2 – MODALIDADE DA PROMOÇÃO: Assemelhado a Vale-Brinde. 3 – ÁREA DE ABRANGÊNCIA: Rio Branco/AC Manaus/AM Feira de […]

Práticas de gestão de negócios podem transformar um time de futebol?

Há muito vemos o mundo corporativo encharcar-se de inspiração ao contratar palestras de profissionais do esporte a fim de extrair lições que possam sacudir as práticas de gestão e liderança. E o contrário? Vale? O Jocelito Canto e Paulo Balancin, gestores do Clube, acreditaram nisso ao vislumbrar num dos empresários da sua comunidade um perfil pragmático, comprometido e orientado para resultados. […]