Grupo GMAD
Você está em:
Loja Chapecomp
(49) 3319-7400

Blog Dicas

o-que-esperar-da-economia-em-2019-veja-perspectivas-da-indústria-e-resultados-do-setor-moveleiro

O que esperar da economia em 2019? Veja perspectivas da indústria e resultados do setor moveleiro

A economia brasileira deve crescer em 2019 se as perspectivas divulgadas pelo Banco Central (BC) no último dia 20 de dezembro se concretizarem neste próximo ano. Segundo dados do Relatório Trimestral da Inflação, o Produto Interno Bruno (PIB) brasileiro deve ficar 2,4% positivo no próximo ano. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

De acordo com o próprio Banco Central, essa é uma projeção feita levando em conta a continuidade da retomada gradual da atividade econômica do país ao longo dos próximos meses. As previsões para agropecuária e indústria em 2019 também são positivas – 2% e 2,9%, respectivamente. Já o setor de comércio e serviços deve crescer 2,1% segundo as projeções. O consumo das famílias deve ter crescimento de 2,5%, enquanto os investimentos devem ter alta de 4,4%.

Já as estimativas para o crescimento das exportações foram revistas, mas seguem positivas – de 6% para 5,7%. A projeção para as importações passou de 5,9% para 6,1% neste último relatório divulgado em dezembro. O BC também acredita que o crescimento do PIB brasileiro em 2018 deve ficar em torno de 1,4%.

A entidade não divulgou dados específicos para cada setor industrial brasileiro. Os últimos números divulgados por entidades do setor moveleiro, porém, apontaram resultados positivos em 2018, o que pode indicar perspectiva otimista para esse setor no próximo ano.

E o setor moveleiro?

Em 2018, a indústria de bens duráveis (entre os quais estão os móveis) passou por altos e baixos – sendo os baixos, em geral, ligados ao período de abril e maio, época da paralisação dos caminhoneiros.

Mesmo assim, o cenário seguiu positivo. No acumulado do primeiro semestre do ano, a indústria moveleira teve 5,5% de crescimento em comparação com o mesmo período do ano anterior. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Pesquisa Mensal da Indústria.

Já em outubro, mês da pesquisa mais recente divulgada pelo IBGE, a alta do setor de bens duráveis foi de 4,4%. A indústria moveleira especificamente cresceu 0,9%.

Leia também:

Exportações de móveis

Outro índice positivo da indústria moveleira é o de exportações. Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimóvel), o crescimento nas vendas externas em novembro de 2018 foi 20,5% maior em comparação com o mesmo mês de 2017.

No acumulado do ano, a variação foi 16,5% positiva. O panorama ainda indica que o principal segmento a se beneficiar foi o de móveis de madeira, que foram os mais exportados. No total, o setor foi responsável por 84,4% das vendas para outros países em novembro. O restante ficou com estofados, móveis de metal e colchões.

Cotação do dólar

Ainda de acordo com dados do Banco Central divulgados em dezembro, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no final de 2018 ficou em R$ 3,83. Já para o final do próximo ano, a estimativa é de que cada dólar esteja custando R$ 3,80.

O setor moveleiro contribui muito para a economia, mas você sabe como? Já falamos sobre isso, confira aqui.

Leia também

praticas-de-gestao-de-negocios-podem-transformar-um-time-de-futebol-gmad

Práticas de gestão de negócios podem transformar um time de futebol?

Há muito vemos o mundo corporativo encharcar-se de inspiração ao contratar palestras de profissionais do esporte a fim de extrair lições que possam sacudir as práticas de gestão e liderança. E o contrário? Vale? O Jocelito Canto e Paulo Balancin, gestores do Clube, acreditaram nisso ao vislumbrar num dos empresários da sua comunidade um perfil pragmático, comprometido e orientado para resultados. […]

Aguarde...

Infomad GMAD

Ao preencher esse cadastro, o incluimos em nosso mailling para receber noticias da GMAD. Não substitui o cadastro solicitado em nossas lojas, para realizar compras.